A Rocinha, a Polícia e os Consumidores

A ação exitosa, que culminou com a prisão do traficante Antonio Bonfim Lopes, o Nem da Rocinha, numa integração elogiável e esperada há muito entre a Polícia Federal, a Polícia Civil e a Polícia Militar no Estado do Rio de Janeiro nos indica a possibilidade de chegarmos à vitória contra o tráfico de drogas.

Os que há tempos desistiram de apoiar a luta contra as drogas e, ao longo de anos buscaram uma trégua interessada com o tráfico, através da promoção social de traficantes e do empenho na legalização das drogas foram, com esta operação policial, definitivamente, os grandes e verdadeiros derrotados.

Muitos "articuladores" da paz os quais se manifestavam de forma constante contra o confronto direto com traficantes em áreas tomadas por facções criminosas devem ter percebido, que o mesmo é inevitável, mas que a forma de operar depende de cada situação. Certamente, não se pode promover ações de confronto com emprego de grande efetivo e envergadura policial em comunidades sem se ter a atenção e o cuidado primordial com a população civil.

Outro ponto a salientar é que a banda podre da polícia sempre atuava na proteção dos bandidos e, em última instância, era este grupo de traidores da sociedade, que informava e, eventualmente, protegia e escoltava os traficantes em seus deslocamentos. Alguns, inclusive, chegaram a transportar armas e drogas entre as comunidades. Estas afirmações ficaram irrefutáveis com a prisão de "policiais" neste episódio e com o depoimento na Polícia Federal do traficante Nem apontando que "policiais" eram sócios em suas operações de venda de drogas.

Porém, esta situação não acaba, apenas, com a prisão e eventual condenação pela Justiça deste conjunto de marginais. O que a sociedade do Rio de Janeiro precisa saber e os meios de comunicação têm a obrigação de informar é que esses traficantes e agentes públicos corruptos são financiados pelos consumidores de drogas.

Os consumidores de drogas, além de destruírem as suas próprias vidas e de seus familiares são os grandes promotores dessa cadeia de crimes contra a vida praticados com alto grau de crueldade pelos traficantes e são, também, responsáveis pelo baixo nível de transformação social das comunidades carentes.

Este quadro agora ficou para muitos, ainda mais claro.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Preces da Comunidade

Crítica ao Trabalho das Organizações Não Governamentais - ONGs

Governos: Falta de Planejamento e Visão