Dom Eugenio de Araújo Sales e o Diaconato Permanente


Dom Eugenio de Araujo Sales faleceu em 9 de julho de 2012, dia de Nossa Senhora da Paz, a paz que ele tanto almejou junto com a alegria que ele citava em seu discurso de posse e no último artigo que escreveu.

Na paróquia da Senhora da Paz em Ipanema manteve um escritório após sua renuncia.  Paz que ele pregava! Coincidências de Deus!

Nas manifestações por ocasião do seu falecimento, faladas ou escritas, especialmente no Testemunho de Fé e no Boletim do Clero de Julho e Agosto, em nenhuma constou a informação de que foi ele quem incentivou e instituiu, nas Dioceses em que esteve, o Diaconato Permanente.

No Rio de Janeiro, há 25 anos, mesmo divergindo do Conselho Presbiteral da época, instituiu o Diaconato para homens casados e viúvos e após preparação de quatro anos, ordenou em 6 de junho de 1987 a primeira turma de nossa Arquidiocese com nove diáconos. Dois comemoraram este ano seu Jubileu de Prata. Os outros sete já estão na Casa do Pai.

Depois de mais quatro anos e meio de preparação não pode, por compromissos em Roma, ordenar a turma de 22 de junho de 1991, com cinco diáconos da qual participei.

Chamou-me, com seu modo sempre reto de agir, para que eu levasse aos outros candidatos “o seu pedido de desculpas” por não poder fazê-lo...  Era assim D. Eugenio!
Delegou a D. Narbal da Costa Stencel, seu Bispo Auxiliar esta função, mas ordenou as turmas subseqüentes, os dois de 1992, os quatro de 1993, os dois de 1994, os quatro de 1995, os três de 1996, os quatro de 1997, um de 1998, e os quatro de 2000.

Renunciando em 2001 declarou que deixava à decisão de seu sucessor a ordenação dos que, embora já preparados, deveriam ser ordenados.

Ordenou, portanto, trinta e três diáconos permanentes e mais os cinco, que, por sucessão apostólica, embora pelas mãos do Bispo Animador ordenado por ele, também são seus filhos no Sacramento da Ordem.

Preocupava-se muito com a formação e crescimento espiritual destes trinta e oito diáconos, tratando-os sempre com muito carinho e disso sou testemunha por ter sido Coordenador Presidente durante oito anos e meio em seu Arcebispado.

Foram ordenados até 2011 cento e sessenta e oito diáconos permanentes dos quais dezoito já estão na Casa do Pai e um fora do seio da Igreja.

Cento e quarenta e nove prestam seu serviço ministerial neste ano de 2012 à Arquidiocese do Rio de Janeiro e devemos este fato à Dom Eugênio.

Não me competia dar estas informações, respeitei aqueles que o deviam ter feito, mas quero, após três meses, deixar aqui, por escrito, e no programa Vox Ecclesiae da nossa Rádio Catedral o meu OBRIGADO AO PASTOR QUERIDO.

                      Diácono Vinicius Nelson Garcia de Souza

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Vox Populi Brasil - Rádio Catedral FM 106,7

Governos: Falta de Planejamento e Visão