Deus e o Futebol II

A FIFA manifestou a CBF sua contrariedade com a exposição de frases como: "Eu amo Jesus" e "Eu pertenço a Deus" ocorridas no final da Copa das Confederações, na intenção de proibir tais expressões em outros jogos de futebol. A FIFA classifica a ação livre dos jogadores de "marketing religioso". Na verdade, há um grande incomodo por parte das entidades desportivas e de patrocinadores, que querem todas as honrarias e reconhecimentos por parte das equipes e de seus jogadores a elas próprias, a seus dirigentes e a seus produtos apresentados ao grande público. Portanto, a questão não é o dito "marketing religioso", mas sim, a necessidade única de se exibir, apenas, a marca do patrocinador eventual da competição.
Nenhuma instituição desportiva nem ninguém tem o direito de proibir estas livres manifestações de fé. Viva a liberdade! Fora com o preconceito religioso!
Louvado seja o Nosso Senhor Jesus Cristo e sua mãe Maria!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Preces da Comunidade

Governos: Falta de Planejamento e Visão