O Papa Francisco na Jornada Mundial da Juventude

O Papa Francisco veio ao Brasil e, particularmente, à cidade do Rio de Janeiro para a Jornada Mundial da Juventude, para indicar um caminho para a restauração espiritual e, consequentemente, do triste ambiente social brasileiro.

O Papa Francisco afirmou o caráter pastoral de sua visita na cerimônia, em que foi recepcionado por autoridades públicas, não permitindo uma possível manipulação política de suas palavras. Disse, como Pedro, naquela ocasião: não trago nem ouro nem prata, mas trago o que há de mais preciso em meu coração, o Senhor Jesus Cristo.

Repito, foi uma visita pastoral, que com a linguagem universal da Igreja Católica, perita em humanidade, essa característica ganha potência e abrangência indo ao encontro do coração não só dos fiéis católicos, mas das demais pessoas de boa vontade.

O Papa é portador da esperança que não decepciona. O próprio Cristo!

Em comunicação simples e direta o sucessor de Pedro reafirmou valores fundamentais esquecidos ou adormecidos no coração da sociedade brasileira.

A doença diagnosticada pelo Santo Padre foi o desânimo.

O Papa falou para os jovens, mas as suas palavras penetraram no íntimo de todos nós.
Importante é se destacar a presença do Papa Francisco em Aparecida. Foi um sinal belíssimo de amor e de devoção filial à Virgem Maria. A significativa presença do Papa em Aparecida trouxe como que uma revitalização da já consagrada Nação brasileira à Virgem Maria.

O pedido em oração manifestado pelo coração esperançoso do Papa Francisco à nossa mãe comum foi, resumidamente, o de acolher a cada um de nós sob o seu generoso manto. Recolocou-nos sob o poderoso manto protetor de Nossa Senhora da Conceição Aparecida.

O Papa sabe que a crise brasileira é mais de fundo moral e que a presença do mal se manifesta no egoísmo, no poder e no dinheiro, metas exclusivas de nossos governantes. Nunca antes na história deste país a corrupção foi tão visível e letal.

Enfrentando a realidade e sabendo que não se alteram de forma imediata as condições impostas por modelos e ações deletérias que, há tempos, não reconhecem a dimensão humana na sua inteireza, o Papa Francisco chama a atenção de forma dura para não matarmos a esperança.

Tenho certeza que todos nós agradecemos a Deus pela presença do Papa Francisco entre nós. Ergamos uma prece a Deus para que a catequese legada pelo Papa penetre e se fixe em nossos corações para que possamos nos aproximar Daquele que está sempre próximo, o nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.


Texto do Programa Opinião Católica do dia 29 de julho de 2013.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Preces da Comunidade

Crítica ao Trabalho das Organizações Não Governamentais - ONGs

Governos: Falta de Planejamento e Visão