Superação da Miséria: Educação e Trabalho como Saída

A miséria que afeta nossos irmãos em diversas partes do país desafia as autoridades públicas e a todos nós no sentido de se buscar saídas para este grave problema.

O governo federal nestes últimos 12 anos se jacta de ter inserido cerca de 15 milhões de pessoas no mercado de consumo através de programas assistenciais como o Bolsa Família.

Com todo o esforço já empreendido existem ainda pessoas no Brasil do século XXI, que não possuem sequer uma refeição completa por dia. Isto revela que a superação da miséria não é uma questão que possa ser tratada apenas no campo do assistencialismo puro e simples.

Existem outros conceitos a incorporar no fundamento deste programa. O primeiro deles, que destaco, é o de se entender que tratamos de pessoas. Parece estranho, mas é necessário pontuar isto. O programa de superação da miséria trata de pessoas em estado de alta necessidade material, mas nem por isso pode se circunscrever a esfera da fome.

A adequada visão sobre o ser humano é fundamental para que se restabeleça toda a dimensão singular e especial, que foi apagada pela condição temporal da miséria, mas que no plano da criação, sempre esteve de forma permanente a assegurar a dignidade comum entre todas as pessoas e, no campo social dos direitos civis, buscar a recuperação da chamada cidadania.

Programas que permitam as pessoas apenas a sobreviver comprando comida e satisfazendo necessidades mais primárias desqualificam a própria natureza humana. É como que “preservá-las” contra a extinção similarmente o feito com animais. É equivaler à natureza humana a de animais ou vegetais.

É duro dizer, mas é isto!

Programas de superação da miséria devem contar com a assistência ao progresso pessoal que se dá comprovadamente pela educação qualificada e pela oportunidade de trabalho digno. É isto que permite a elevação social com o ganho de dinheiro, via trabalho, para fazer face à manutenção das necessidades das famílias e ao próprio e indispensável crescimento material.

Portanto, a chave da superação deste quadro de miséria está em áreas cujas estatísticas internacionais demonstram que o Brasil é mais do que deficitário.

Para a superação da miséria nada mais adequado do que conjugar esforços na promoção de uma educação eficaz e a manutenção material da vida pelo trabalho.


Texto do Programa Opinião Católica do dia 27 de junho de 2013.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Preces da Comunidade

Crítica ao Trabalho das Organizações Não Governamentais - ONGs

Governos: Falta de Planejamento e Visão